sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

História doce para dias de Inverno



Lisboa sempre foi ponto de passagem e de acolhimento de refugiados, uma cidade porto de abrigo dos refugiados da Europa em guerra. Foi neste cenário que 1939 Alvaro Matias, então jovem marçano numa mercearia da baixa lisboeta conheceu, um francês de nome Dr. Bayard. Em condições difícies e complicadas nasceu uma amizade inimaginável. Alvaro aprendeu francês  e fazia as honras da casa, chegando mesmo a ajudar o amigo quando a sua situação financeira se alterou. Com o fim da guerra o francês e a família regressaram a França MAS antes "agradeceu" tudo o que o seu amigo português tinha feito por ele, com a única coisa de valor que ainda possuía a receita dos "Rebuçados Dr. Bayard". 
Assim nasceu em 1949 a produção dos populares e adorados rebuçados para a tosse que todos os portugueses tão bem conhecem. A fórmula dos rebuçados Dr. Bayard desde esta data mantém-se inalterável, actualmente a actividade é totalmente mecanizada e continuada pelo filho José António e pelo neto André. Um segredo bem aguardado que continua a fazer mágia nas bocas de quem os prova. 

Actualmente a fábrica produz segundo os dados: 


40 quilos de massa de três em três minutos;

40 toneladas de mel por ano;
600 toneladas de açúcar por ano;
1000 rebuçados por minuto.



http://www.drbayard.pt/

Sem comentários:

Enviar um comentário