terça-feira, 31 de julho de 2012

Jardim do Príncipe Real - “Jardim França Borges”.


Arquivo Fotográfico de Lisboa 
Biblioteca ao ar livre, 1956
Serôdio, Armando, 1907-1978 

Conhecido no século XV por Alto da Cotovia. Nos finais do século XVII, o filho do marquês de Alegrete, João Gomes da Silva Teles, projetou a construção de um palácio, posteriormente abandonado, sendo em 1740 a lixeira do Bairro Alto. Este território foi vendido à Companhia de Jesus, e os padres limparam o local e ordenaram a construção do Colégio das Missões, que viria a ser destruído com o terramoto de Lisboa, de 1755. Aí se iniciou a nova Sé Patriarcal, que acabaria por sofreu um incêndio que a destruiu, ficando ao abandono. Por volta de 1789, o visconde de Vila Nova de Cerveira insinuou o aproveitamento destas ruínas para a construção do Real Erário, a Tesouraria Central do Reino, porém as obras tornaram-se tão dispendiosas que o projeto acabou por ser novamente abandonado em 1797. No ano de 1830 era um local de entulho, que a Câmara mandou limpar para ali colocar uma praça. Foi então edificado e construido um jardim com características e traços românticos, datado de 1853 e designada por Praça do Príncipe Real no ano de 1859. No decorrer dos anos 50, foi chamada por Largo de D. Pedro V; e entre 1911 e 1919, de Praça Rio de Janeiro, tendo readquirido o seu nome como forma de homenagem ao filho primogénito de D. Maria II. Em 1861 iniciaram-se os trabalhos de terraplanagem da praça e em 1863 a Companhia das Águas terminou a construção do Reservatório de Água da Patriarcal que, para além, de aprovisionar o jardim fazia a ligação com diversos chafarizes de Lisboa: Século, Loreto e S. Pedro de Alcântara. Em 1869 deu-se a iluminação e ajardinamento do local, a cargo de João Francisco da Silva. O jardim tem uma área de 1,2 ha, traça e estilo romântico inglês em torno de um grande lago octogonal com repuxo. Destacam-se várias espécies arbóreas, salientando-se o enormíssimo cedro-do-Buçaco, considerado o ex-libris da praça, com 20 metros de diâmetro. Podemos ainda observar canteiros de recorte simétrico repletos de plantas e flores assim como pequenos arbustos. No ano de 1915 colocaram no jardim um busto do jornalista republicano França Borges em sua homenagem ficando oficialmente a designação de “Jardim França Borges”.

Localização: Praça do Príncipe Real , 1250-184 Lisboa
Horário/ Hours/ Horaire: Aberto 24 horas
Acessibilidades:
Autocarros/ Buses/ Bus (Carris):
92, 758, 773, 790;
Metro/ Metro/ Métro: Rato

Sem comentários:

Enviar um comentário