segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Pão de Castella



Foi introduzido pelos mercadores portugueses no Japão há mais de 500 anos, como Pão de Castela, tornou-se ao longo dos séculos numa das sobremesas japonesas mais típicas, sendo conhecido como o Castella ou Kasutera.
Levado para o Japão pelos portugueses no século XVI e popularizado pelos japoneses. Acredita-se que o nome possa ter derivado de uma região denominada Castela, em Espanha. No século XVI, um navio Português atracou em Nagasaki, o porto de comércio japonês. Os Portugueses trouxeram muitas coisas para o Oriente e a Kasutera foi uma delas. Este bolo pode ser conservado por um longo período de tempo, por isso era necessário para os mercadores que estavam em alto mar durante longos meses. Era um doce precioso uma vez que o açúcar tinha um preço muito elevado e foi servido para os enviados da Coreia. Mais tarde, começaram a fazer ‘kasutera japonesa’, a receita original do bolo foi lentamente alterada para se adaptar ao paladar dos japoneses sendo atualmente confecionado com vários sabores: chá verde, chocolate ou côco.
Apesar de seu nome ser de origem portuguesa, as suas raízes são espanholas, uma receita provavelmente descendente do biscocho que era similar ao pão-de-ló preparado nos mosteiros e conventos da região de Castela.
O popular bolo é muito apreciado em várias circunstâncias tanto em festividades como em festas de rua, é feito à base de açúcar, farinha, ovos e xarope de milho. Apresenta uma textura esponjosa e de cor amarela no centro, similar ao pão-de-ló, embora a sua aparência seja mais refinada na hora da comercialização.

Em Lisboa podemos experimentar esta especialidade graças ao trabalho desenvolvido por Paulo Castella, que nos diz que: “a tradição e a inovação estão lado a lado, mas a qualidade está sempre em primeiro lugar”.

Castella do Paulo

Rua Alfândega 120
1100-016 Lisboa
Telf: 212214446
Email: castelladopaulo@gmail.com
Encerra ao Domingo
http://www.castella.pt/



Sem comentários:

Enviar um comentário