quinta-feira, 18 de agosto de 2011

ContraDança

À memória do meu avô Constantino Vicente Ferreira, que sempre me falou da dança que tinha aprendido na sua Aldeia e que só alguns praticavam. Ele era “mandador” e sentia um orgulho imenso quando se referia a esta dança, recordo a ternura e o seu saudosismo da juventude quando recordava os seus tempos altos. Revejo os seus olhos a brilhar e o seu sorriso rasgado, memórias de memórias. São boas e guardo-as comigo num baile de aldeia num Agosto quente. Ao luar no Monte das Violetas onde as conversas em família corriam até ao amanhecer! Segundo me contou já seu pai meu bisavô Jerónimo Ferreira dançava esta “moda” como lhe chamava, curioso é saber que meu bisavô participou na 1ª Guerra Mundial onde esteva na Guerra das trincheiras em França. Não sei se a “moda” veio de lá ou não mas um cruzamento histórico de certeza que houve.

Figuras da contradança, segundo a edição discográfica de Chants du Monde, a partir da 

obra de John Playford.


Contradança é uma das danças que se tornou característica em Portugal e é interpretada por numerosos grupos folclóricos. Trata-se de uma dança ou, melhor de uma mistura de várias danças com melodias diversas, obedecendo quem a executa à voz de alguém que manda.
Faz de algum modo lembrar a tradicional dança algarvia “baile mandado". Foi a contradança uma dança muito apreciada nos bailes que se organizavam nos finais do século passado, nomeadamente no Palácio das Laranjeiras, no dos Condes de Farrobo e até na corte então instalada no Palácio da Ajuda.
Igualmente ao que sucedeu com o folclore austríaco que viu as suas valsas invadirem os salões aristocráticos, também a contradança acabou animando os bailes da corte e da nobreza europeias e inclusive inspirar grandes compositores como Mozart e Wagner.
“Na realidade e sem pretender contestar à influência que nalguns casos poderão ter exercido os soldados portugueses que regressaram de França e das trincheiras da Flandres, integrados no Corpo Expedicionário Português, tudo leva a crer que a contradança aparece no nosso país por altura das invasões francesas e ainda, muito provavelmente, em virtude dos numerosos portugueses que ingressaram as tropas napoleónicas.” Carlos Gomes  
A influência francesa nas origens da contradança no nosso folclore, são inegáveis como atestam algumas expressões empregues pelo mandador aquando da sua execução. Porém, não é de excluir alguma influência que poderão ter exercido os militares ingleses que então combateram ao lado dos portugueses o invasor napoleónico e por cá permaneceram enquanto a corte de D. João VI esteve exilada no Brasil. 

Sem comentários:

Enviar um comentário